sábado, fevereiro 25, 2006

2 ANOS

terça-feira, fevereiro 14, 2006

O Cidadão Zangado

Artigo retirado do JN de 14.02.2006 (ver link sobre o titulo)

A desertificação da cidade começou com o Plano Auzelle. O automóvel fez o resto

Na semana passada, Hélder Pacheco deixou expresso o quanto anda zangado com a sua e nossa forma de viver nas cidades. Ele manifesta-se contra a anarquia urbanística dos últimos 30 anos, mas se ele fizer o favor de recuar ainda mais no tempo, chegaremos aos primórdios dos anos 60 do século passado, altura em que entrou em vigor o Plano Auzelle, génese de muitos dos "males" que se abateram sobre o Porto.

Aquele urbanista francês implementou uma política de zonamento citadino quando, por essa Europa fora, a mesma técnica tinha sido posta de parte. Lá fora já se havia concluído que marcar zonas geográficas para as funções habitar, trabalhar e divertir era um contributo forte para a desertificação das cidades, mas nós, cá dentro, inaugurámos com pompa e circunstância essa mesma política na planta de síntese do plano, marcou-se, a azul, toda a Baixa portuense e considerou-se que a mesma reunia potencial suficiente para se tornar em Zona Administrativa.

Ali o Município deveria facilitar a instalação do comércio, dos negócios e da gestão da coisa pública e daí até surgirem as famigeradas autorizações de mudança de destino foi um passo. Um exemplo um edifício da Rua de Ceuta com seis andares (esquerdo e direito) para habitação tem, hoje em dia, apenas uma família a morar. Os outros apartamentos foram, a pouco e pouco, destinados a escritórios e, até, sede de sindicatos... Os prédios da mesma artéria tiveram o mesmo triste destino e a zona passou a ser considerada local privilegiado para a instalação de consultórios e banca de advogados, na medida em que, bem próximo, a Praça de D. Filipa de Lencastre funcionava como central de camionagem para as carreiras do Minho.

Outro exemplo dramático para a cidade do Porto foi fruto da decisão da CP ao transferir da estação de S. Bento para Campanhã o termo das linhas do Douro, do Minho e do Norte. Em três tempos, todo o comércio e serviços instalados no núcleo Mouzinho da Silveira/Flores sofreu enorme rombo. É certo que, entretanto, os grandes distribuidores de produtos e alfaias agrícolas se deslocaram para as zonas em que viviam os seus clientes e que a moda dos super/hipermercados também foi chegando à chamada província, mas ainda hoje se lamenta o facto de S. Bento ter sido transformada apenas em local de chegada e partida dos comboios suburbanos.

Acrescente-se a esta política de (mal)tratar uma cidade o facto de ter sido decretado, nos anos 40 do século passado, o congelamento das rendas de casa nas cidades do Porto e de Lisboa. Dez anos depois, os senhorios já estavam sem meios para poder conservar os edifícios. Estes, cujas características construtivas estavam desactualizadas a tal ponto que não tinham sequer uma casa de banho, depressa ficaram sem gente. E, sem gente, uma casa é como uma cidade, um autêntico deserto. É irónico que 40 e muitos anos depois andemos todos a falar no "regresso à Baixa" e que, desde 2001, se façam planos de revitalização do espaço urbano portuense que corresponde à mancha azul desenhada por Robert Auzelle.

O automóvel fez o resto. A cidade, de dia, é um engarrafamento, à noite, um deserto de marginalidade. Mais, o automóvel fez com que o Porto tivesse perdido a sua rede de eléctricos, um transporte popular pioneiro na Península Ibérica. Hélder Pacheco tem razão em estar zangado com as cidades - a nossa cidade. Ele e nós somos cidadãos zangados ...

quarta-feira, fevereiro 08, 2006

Boas Noticias III

SRE exporta pilhas de combustível a hidrogénio

A SRE-Soluções Racionais de Energia, após «cerca de três anos de focalização no desenvolvimento de um produto hi-tech inovador», iniciou a comercialização no mercado externo da sua Fonte de Alimentação HW – 125.

Continua

INH estimula construção sustentável

O Instituto Nacional de Habitação (INH) está a sensibilizar os agentes do sector imobiliário para o uso dos critérios de sustentabilidade nas novas construções e reabilitação urbana. Está prevista uma revisão legislativa que contribua para estimular a construção de habitação a custos controlados. A redução das taxas de juro, nas obras que apresentem estas características, é o primeiro passo.

Continua

Parque eólico do Caramulo entra hoje em funcionamento

O parque eólico do Caramulo, que hoje recebe a visita do Presidente da Republica, Jorge Sampaio, vai gerar benefícios económicos que terão um valor total próximo dos 15,5 milhões de euros, anunciou a Generg.

Continua

EDP investe 350 mil euros em projecto educativo para a poupança de energia

A EDP acaba de criar um programa pedagógico que visa alertar as camadas mais jovens para a necessidade de poupar energia. Com um investimento de 350 mil euros, o projecto vai ser adoptado em mais de 200 escolas portuguesas do primeiro e segundo ciclos.

Continua

Comissão Europeia cria estratégia para promover utilização de biocombustíveis

Fomentar a produção e utilização de biocombustíveis, recorrendo a matéria-prima de origem agrícola, é o principal objectivo da estratégia que a Comissão Europeia acaba de adoptar. A medida tem como pano de fundo a dependência energética da União Europeia (UE), visando diminui-la e assegurar que a produção e utilização dos biocombustíveis são globalmente positivos para o ambiente e contribuiem para os objectivos da Estratégia de Lisboa.

Continua

Caixagest Energias Renováveis procura mais investimentos

O fundo Caixagest Energias Renováveis, criado em Setembro de 2005 pela Caixa Geral de Depósitos (CGD), a Caixagest e a Caixa Capital, encontra-se em fase de finalização da carteira de participações.

Continua

quinta-feira, fevereiro 02, 2006

Boas Noticias II

Bush adverte que EUA devem romper com a sua "dependência de petróleo"

O Presidente norte-americano, George W. Bush, advertiu, no seu discurso sobre o estado da Nação, que o seu país está "viciado no petróleo do Médio Oriente" e que essa dependência deve acabar, através da "tecnologia".

Esta parace daquelas para não acreditar

Continua

Águas do Douro e Paiva apoia projectos de actividades ambientais em 15 escolas

O concurso «Projecto Mil Escolas», organizado pela Águas do Douro e Paiva (AdDP), vai premiar 15 estabelecimentos escolares com 100 mil euros para o desenvolvimento de projectos para actividades ambientais e compra de computadores e manuais para professores e alunos.

Continua

Painéis solares obrigatórios

A instalação de painéis solares térmicos nas novas construções, ou outras soluções renováveis, passa a ser obrigatório à luz da nova legislação sobre eficiência energética,

Continua

Comunidade Portuguesa de Ambientalistas
Ring Owner: Poli Etileno Site: Os Ambientalistas
Free Site Ring from Bravenet Free Site Ring from Bravenet Free Site Ring from Bravenet Free Site Ring from Bravenet Free Site Ring from Bravenet
Site Ring from 

Bravenet