quinta-feira, novembro 24, 2005

Erva da Semana XV: 26 de Novembro Dia Sem Compras

O Blog Solariso conjuntamente com a MOVE encontram-se activos dia 26 de Novembro, Dia Sem Compras. Propomos distribuir por todos interessados o Manifesto que deixamos abaixo transcrito e que coincide também com a edição da Erva da Semana XV.

Para todos os interessados podemos enviar o Manifesto em formato pdf para o e-mail, bastando que nos enviem um mail ou que expressem essa vontade em comentário.

MANIFESTO DIA SEM COMPRAS

Dia 26 de Novembro 2005

PASSE UM EXCELENTE DIA SEM COMPRAS

VÁ AO PARQUE E NÂO AO SHOPPING

COMPRE PARA VIVER – NÃO VIDA PARA COMPRAR

EDUQUE A COMPRAR – NÂO COMPRE PARA EDUCAR

PROMOTORES:

SOLARISO

INTRODUÇÃO

Dia 26 de Novembro é dia sem compras.

Conscientes das implicações e consequências ambientais de uma sociedade exageradamente consumista, decidimos participar de forma activa na comemoração deste dia, onde o essencial passa pela consciencialização da sociedade de consumo para os efeitos negativos da sua postura consumista. A forte presença do materialismo na sociedade, levando esta a procurar felicidade e prazer pelo consumo, atingiu proporções desumanas, contribuindo durante décadas para a degradação do Ambiente, para uma sociedade cada vez mais egoísta, fútil e infeliz. Vemos isso, todos os dias, na altura do Natal que se aproxima, onde muitas das vezes, mesmo que inconscientemente, se procura compensar, recorrendo ao consumo, a falta de tempo, de afecto, etc...

Este dia nada mais é do que uma reflexão para a necessidade cada vez mais óbvia de mudar. Necessitamos alterar os nossos hábitos consumista, para que o desenvolvimento sustentável seja possível de alcançar, necessitamos de diminuir as nossas necessidades energéticas, necessitamos de produzir menos resíduos, de valorizar os materiais recicláveis e negar ao que não é reciclável, assim como necessitamos de apostar em produtos com maior longevidade em detrimento dos produtos de curta utilidade.

Necessitamos de ser consciente quando compramos. O dia sem compras é também por isso um dia de protesto contra a corrente materialista que se instalou nas sociedades modernas, um protesto contra o principio de que o consumo é um factor positivo para a Economia, um protesto contra o poder político e económico que vendendo a ideia da felicidade fácil através do consumo tem consumido o Planeta, enriquecido poucos e iludido a maioria.

Por isto tudo existe um dia sem compras, para que possamos reflectir e tornarmo-nos mais conscientes sobre a nossa responsabilidade como consumidor, para que a cada ano existam mais pessoas a alterar os seus hábitos, a estarem mais atentas e conscientes.

FACTOS

Os factos que hoje conhecemos são inegáveis, 20% da população mundial consome 80% da totalidade dos recursos naturais, prevalecendo os princípios de produção massiva e desperdício massivo, temos necessidades exageradas de bens materiais que em parte “impõe ao mundo subdesenvolvido a condição de pobreza. O planeta simplesmente não consegue suportar toda a população mundial com a exigência energética equivalente à dos países mais desenvolvidos. Por isso, e para que se torne possível compartilhar de forma mais justa todos os recursos do planeta pela população mundial, exige-se a alteração dos actuais padrões de consumo presentes nos países mais desenvolvidos.

Nos dias de hoje o consumo e a produção são considerados factores benéficos para a economia, contrastando com outro conceito de economia, chamado de economia solar, em que os factores de sucesso não são a produção e consumo, mas sim a capacidade de produzir de acordo com a necessidade e da inovação tecnológica que garanta a manutenção do stock total necessário, com menos produção e menos consumo. Desta forma uma economia solar facilita a implementação do desenvolvimento sustentável uma vez que não existe a necessidade de produzir em quantidade para ser competitivo.

Com escreveu, o Professor Doutor Jacinto Rodrigues, catedrático da Faculdade de Arquitectura da Universidade do Porto, no resumo do seu artigo “O Desenvolvimento Ecologicamente Sustentável…Alternativa ao Capitalismos na Era da Globalização”:

“Não é possível construir uma sociedade de justiça social sem mudança do modelo territorial energético, baseado na sustentabilidade ecológica. A ecologia, como fundamento substantivo da política e da técnica, torna-se essencial para a alternativa ao paradigma do capitalismo na fase da globalização.”

A PUBLICIDADE É ANTI-ECOLÓGICA E INIMIGA DA DIVERSIDADE CULTURAL

Diariamente cada individuo é confrontado com aproximadamente 3.000 mensagens publicitarias, pela televisão, pelos cartazes, na caixa do correio, no e-mail, no telemóvel, podendo mesmo ser afirmado que existe uma clara invasão da nossa privacidade e liberdade, tal a pressão publicitária existente à nossa volta. A publicidade é o instrumento que ilude, que cria a imagem, que vende a ideia de felicidade pelo consumo, de vida fácil, desde o detergente até à compra de uma casa. É também a publicidade que agride a formação humana dos nossos filhos uma vez serem estes mais sensíveis e menos conscientes. Aliás quero fazer aqui um pequeno parágrafo em relação às crianças.

Muitas das estratégias de marketing atingiram a perversidade ao adoptarem uma publicidade direccionada aos mais novos, uma vez que estes são mais sensíveis à mensagem e são um veículo até aos adultos, “os pais”, convencendo-os mais facilmente a aderir a um produto. Este tipo de estratégia para além de perversa e imoral é indiscutivelmente um acto de deformação na formação Humana dos nossos filhos uma vez que estes crescem com a ideia de o consumo ser em certo modo uma forma de vida, aquilo que dá sentido à vida, ou seja o fútil é bom, o ter boas roupas, um bom carro, ir de férias para o estrangeiro, etc…são vistos como factores de felicidade. Talvez por aqui se possa começar a compreender o aumento das depressões em pessoas cada vez mais novas.

Em muitos aspectos a publicidade promove também o desemprego, visto estar principalmente ao serviço dos grandes grupos empresariais que regra geral recorrem ao uso intensivo da tecnologia em detrimento do emprego mão-de-obra, aumentando assim as suas margens de lucro.

A imposição da ideia de felicidade através do consumo irracional e a imposição de modos de vida estandardizados em todo o planeta são ainda um atentado a diversidade e identidade cultural, essa sim verdadeira fonte de riqueza, de inspiração e criatividade.

Pela publicidade é promovido o culto da aparência, do egoísmo, do sexismo, deformando assim a verdadeiras características da natureza Humana e Ecológicas.

CONCLUSÃO

Ao estarmos conscientes sobre os problemas inerentes a uma sociedade de consumo não podemos ficar indiferentes.

Não foi nossa intenção abordar toda a complexidade e todos os factores, pretendemos apenas contribuir para que a consciencialização sobre o consumo, seja real, para que tenhamos a noção de que os nossos filhos crescem numa sociedade onde as aparências e a futilidade são sobrevalorizadas.

POR ISTO PASSE UM BOM DIA SEM COMPRAS E COMPRE A PARTIR DE AMANHÃ PARA VIVER, NÃO VIVA PARA COMPRAR

5 Comments:

At 5:36 da tarde, Blogger Gonetw said...

Agora estou confuso...
Devo ou não fazer publicidade a este artigo?

 
At 5:37 da tarde, Blogger Gonetw said...

:)

 
At 5:38 da tarde, Blogger Solariso said...

Um bom atrofiamente...
Não é?!

 
At 6:03 da tarde, Blogger Ponto Verde said...

Excelente iniciativa!!!

 
At 12:32 da manhã, Blogger APOBO said...

Este é um bom ponto de partida para uma nova "mentalidade" global... Estamos juntos nesta iniciativa.

 

Enviar um comentário

<< Home

Comunidade Portuguesa de Ambientalistas
Ring Owner: Poli Etileno Site: Os Ambientalistas
Free Site Ring from Bravenet Free Site Ring from Bravenet Free Site Ring from Bravenet Free Site Ring from Bravenet Free Site Ring from Bravenet
Site Ring from 

Bravenet